domingo, 19 de abril de 2009

29/04 ...Parabéns, minha cidade maravilhosa...

Fotos da cidade





Brasão de Ipatinga
História de Ipatinga



Localizada na microrregião Siderúrgica de Minas Gerais, abrange parte da bacia do Rio Doce (Rio Piracicaba e Ribeirão Ipanema). Por volta de 1930, a Estação Ferroviária "Pedra Mole" foi transferida, após sucessivas tentativas de transposição da foz do Ribeirão Ipanema. O trajeto da Ferrovia Vitória-Minas, que margeava o Rio Piracicaba desde 1922, foi, então, alterado para a atual rua Belo Horizonte no Centro da atual cidade. Tratava-se de uma região completamente coberta por mata atlântica e habitada por índios Botocudos. Aos poucos as terras foram invadidas e colonizadas por forasteiros motivados principalmente pela vinda da EFVM (Estrada de Ferro Vitória a Minas) por volta dos anos de 1920. O núcleo populacional original foi mantido até o final dos anos 50 basicamente pela produção de carvão vegetal, para alimentar as atividades siderúrgicas da Belgo Mineira e ACESITA, empresas instaladas em municípios próximos. A exploração do carvão, transportado pela ferrovia para a Belgo-Mineira em Monlevade e Sabará, era a atividade econômica predominante. As ruínas da Estação "Pedra Mole" restam ainda ao pé do bairro Castelo. A nova estação deu origem a um pequeno povoado, hoje o centro tradicional de Ipatinga que, juntamente com Barra Alegre, foram os primeiros da região. A antiga denominação de Barra Alegre (Água Limpa), foi repetida na formação da palavra i+pa+tinga que, na língua tupi, significa "pouso de água limpa". O traçado viário de logradouros acanhados, o pontilhão de ferro sobre o Ribeirão Ipanema e o edifício da Estação na rua Belo Horizonte, antigo leito dos trilhos, juntamente com as lojas da avenida 28 de abril (antes, rua do Comércio), são testemunhos daquele povoado que pertencia ao município de Antônio Dias e, em 1953, tornou-se distrito de Coronel Fabriciano, precursor da Ipatinga Industrial de hoje. No início da década de 60, a USIMINAS já está implantada e em processo de produção, inaugurada em outubro de 1962. Os movimentos grevistas de 1963 culminaram, em 7 de outubro, com o massacre dos operários no acampamento Santa Mônica (Horto) e no portão, hoje inexistente, próximo ao escritório central da usina. No bojo da efervecência, constitui-se o Sindicato dos Metalúrgicos. Ipatinga é emancipada em 30 de dezembro de 1962. Os anos 70 registram grande crise de moradia para atender à crescente demanda gerada pela migração. Fazendas começam a ser parceladas. O comércio cresce. Barra Alegre se desenvolve e surgem novos bairros. Ipatinga é hoje uma cidade com vida cultural intensa. Os grupos de teatro, música, folclore ocupam espaços importantes como o Parque Ipanema, o Centro Cultural 7 de Outubro e sobretudo o antigo prédio da Estação Ferroviária, a "Estação Memória". A cidade possui ainda atrativos naturais, com destaque para o Parque das Cachoeiras.
Rua do comércio, antiga 28 de abril


Século XVI e XVII - Região de Ipatinga está ocupada por nativos que os portugueses designam por Botocudos.



Massacre de Ipatinga



O Massacre de Ipatinga foi um evento trágico acontecido no município de Ipatinga/MG no dia 7 de outubro de 1963. Considerado por alguns estudiosos como uma prévia do que seria a exibição do poder militar que tomaria posse do governo brasileiro no ano seguinte, o fato consistiu em um atrito entre militares e funcionários da USIMINAS, revoltados com as más condições de trabalho e a humilhação que sofriam ao serem revistados antes de entrar e sair da empresa para sua jornada de trabalho.
A situação de tensão culminou com a
polícia militar responsável pela vigilância patrimonial da USIMINAS, então sob ordens do governador mineiro Magalhães Pinto, que mais tarde participaria com afinco da ditadura, atirando, inclusive com metralhadoras, contra os funcionários desarmados que se manifestavam na portaria da empresa resultando oficialmente em 8 mortos (inclusive uma criança no colo de sua mãe) e diversos feridos.
Os números sempre foram contestados pelas testemunhas presentes que tiveram a verdadeira noção da tragédia ocorrida.
Na noite anterior ao dia 7 os trabalhadores sairam do turno da noite e foram para o alojamento que ficava no bairro Santa Monica, logo após chegaram alguns policiais e começaram a atirar matando um dos moradores do alojamento. No dia 7 de manhã os trabalhadores saiam da usina e os vigilantes começaram a revistar suas marmitas, logo depois, um policial em cima de um caminhão e com uma metralhadora giratória começou a atirar por todos os lados.
A massacre foi fotografa por José Isabel Nascimento, fotógrafo amador, que foi um dos únicos a fotografar o crime. Porém, foi atingido por vários tiros da
Polícia Militar durante esse episódio e faleceu dez dias depois na Casa de Saúde Santa Terezinha.



Dados em ordem Conológica


1922 > Inauguração da Estrada de Ferro Vitória-Minas.
1930 > O trajeto da estrada de ferro é mudado para o local onde hoje é a cidade.
1934 > A Companhia Belgo-Mineira instala a primeira escola em Ipatinga.
1953 > Criação do Distrito de Ipatinga, pertencendo ao Município de Coronel Fabriciano.
1959 > Cravação solene do marco inicial da Usina Intendente Câmara.
1962 > Inauguração da Usina Intendente Câmara.
1964 > Emancipação Político-administrativa de Ipatinga.
1964 > Instalação do Município de Ipatinga.
1965 > Realização da primeira eleição para cargos de prefeito, vice-prefeito e vereadores. > Instalação da Câmara Municipal - primeira Legislatura. > Posse do primeiro prefeito eleito no Município.
1975 > Criação da Comarca de Ipatinga.
1977 > Instalação da Comarca.
Turismo
Parque das Cachoeiras, Kartódromo Emerson Fittipaldi, Clube Náutico Alvorada (Lagoa Silvana), Estádio Municipal Epaminondas Mendes Brito – Ipatingão, Feira de Artesanato da Praça dos Três Poderes FEIRARTE, Estação Ferroviária Pouso de Água Limpa, Parque da União, (Está localizado no bairro Planalto 2, onde a prefeitura desenvolve o Projeto Ambiental Mudas Brasil, com a finalidade de criação de um bosque de árvores nativas do Brasil), Parque da Samambaia (Localizado ao final da rua Samambaia, no Bairro Bom Jardim, é uma reserva ambiental com lago, nascente e vegetação típica da região), USIPA, Shopping do Vale do Aço (Um dos mais importantes empreendimentos comerciais da região com lojas, áreas de lazer, de alimentação e espaço cultural. Com mais de 10 anos e 2 expansões o Shopping do Vale se concretiza como o maior centro de compras do leste mineiro), Aterro Sanitário; Estação Memória, A estação Ferroviária de Ipatinga foi construída em 1930 e desativada em 1951. Reinaugurada em 1992 como Estação Memória, passou a ser um núcleo referencial de preservação e proteção da memória cultural do município. Seu acervo documental inclui registros de diferentes momentos culturais, políticos e artísticos de Ipatinga, reproduções de documentos manuscritos e impressos, livros e revistas relacionadas à cidade de Ipatinga, objetos originados da CVRD-Companhia Vale do Rio Doce e obras de arte inspiradas na cultura local. Além de tratar de uma unidade de memória, desenvolve projetos voltados para as artes, especialmente as plásticas. Aberta diariamente para visita e pesquisa sobre a história regional, Parque Ipanema, Centro Esportivo e Cultural 7 de Outubro, Estação Pedra Mole, Green park, Praça dos Três Poderes, Parque Itamaraty, Estádio Municipal João Teôtonio Ferreira, o "Ferreirão".


Um comentário:

  1. Amiga querida !

    Estou passando bem rapidinho para te oferecer um Selinho da amizade !!!!

    Aceite-o ... é de ♥

    Beijos

    E tenha uma ótima semana !!!!

    ResponderExcluir

A música vem daqui...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails